Sobre o sumir das palavras

Foto: Kleber Bassa

Foto: Kleber Bassa

Às vezes as palavras somem. Como se tivessem, em sua estranhíssima liberdade, escolhido fugir e esconder-se de mim. São momentos difíceis. Momentos em que, na tentativa de me expressar, rabisco algumas linhas. Apenas para, alguns minutos depois, descartá-las, ao constatar sua insuficiência, sua ineficiência para traduzir em palavras, no papel, aquilo que sinto.

Em momentos como esse, sinto que as palavras brincam comigo. Enquanto as procuro, percebo que, muitas vezes, chego perto de achá-las… Porém, nesses momentos, acredito que elas correm e se escondem em outro lugar. Longe do meu alcance.

Difícil mesmo é aceitar quando isso acontece. Seria bem mais fácil a simples admissão temporária do fracasso. Mas não… Procuro, insisto, persisto. E, no fim, o resultado é o mesmo: desisto. Percebo-me incapaz.

Sem outra alternativa, fico esperando que elas, as palavras, se cansem do esconderijo em que estão e decidam vir me encontrar… Orando para que, antes do apagar das luzes, percebam que minha procura não é um mero capricho, mas fruto de uma necessidade…

Paciência! Ah, a paciência…

6 respostas em “Sobre o sumir das palavras

  1. Nossa!!! Você acabou de descrever exatamente o que sinto há algum tempo. Note que meu blog há meses tem intervalos enormes entre uma coisa e outra.
    Não ando bem. A verdade é que uma avalanche de situações e sensações andam atropelando o escrever. As ideias surgem, borbulham, vêm à tona e… nada. Na hora de escrever tudo se atropela… quero só a calma peculiar para organizar as ideias e registrar as memórias. abraço.

    • desejo que as coisas melhorem e entrem no eixo para que você possa voltar a reorganizar as ideias, everaldo! sou fã do seu blog e sinto falta das atualizações, mas compreendo perfeitamente esse momento. um abraço!

  2. Amigo, fiz um texto uma vez sobre isso. E, em outra ocasião, um ‘poeminha’ (http://gabivilaca.wordpress.com/2013/01/29/sobre-elas/). Sei exatamente o que é procurar as palavras, querer despejar tudo em um pedaço de papel e não conseguir. No meu blog, os textos estão cada vez mais espaçados… Sinto que eu é que estou, a cada dia, com mais dificuldade de escrever. De expor o que penso. Sem querer dizer mesmo. Parece que as palavras estão, como eu, de certa forma traumatizadas. Com medo, receosas de se mostrarem. Parece que não vale mais a pena. Mas a verdade é que, no fim, elas sempre aparecem. Trazendo o belo e o feio. O que vale dizer, e o que muitas vezes não vale – mas que digo mesmo assim. Elas me ensinam muito. Adorei o texto, me fez divagar um pouquinho e refletir bastante. Continue insistindo em trazer as palavras pra cá, porque eu adoro! Um beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s