Minha realidade, minha dor

E a esperança que me resta é justamente o milagre. E o problema disso tudo é que nunca fui muito bom com essa história chamada milagre. Até hoje não sei bem se acredito nisso. Pior ainda é não ter certeza que desacredito.

Muitos me condenam por ser assim, mas a verdade é que de nada adianta a hipocrisia na face, quando a verdade é evidente no coração. Meu compromisso é, antes de tudo, comigo mesmo, com a minha realidade.

No momento, o caminho mais cômodo aos que me cercam é manter distância de mim. Não é o melhor momento, de maneira alguma, para tentar se aproximar. Agora, aspiro a um momento a ser dividido com poucos. Aqueles que conseguiram adentrar os espaços mais desabitados da minha vida. Espero que não saiam, já que ninguém vai entrar.

Pouco me importo com a opinião alheia. Não tenho medo daquilo que vou perder. Ahhh, a perda. É até brincadeira falar de perda comigo agora. E de muitíssimo mau gosto. Ambições, deixo-as àqueles que ainda não descobriram aquilo que, na vida, é essencial.

Não quero conselhos. Muito menos opiniões. Sugestão é uma palavra que não existe em meu vocabulário. Quero longe de mim aqueles que têm receitas de um modo saudável para lidar com a dor e a incerteza. Daqueles poucos, que o sabem, aceito apenas abraços… e o silêncio, reverente e devoto, que só pode ser oferecido por quem realmente ama.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s