Marcas

E de repente, vi-me sozinho
Vi-me perdido, cansado, sem rumo
Percebi a dor que me dilacerava
A dor da desilusão, do abandono

Tudo tão rápido, repentino, assustador
Incrível como as coisas mudam
Ontem tinha muitas certezas
Hoje restam as dúvidas

Mas há coisas que permanecem
Coisas que não passam,
Sem antes nos marcar

E foi só reparar e vê-los lá
Impassíveis, no mesmo lugar
De braços abertos para mim
Apenas esperando eu chegar
Loca e Vicko, amigos
Marcas eternas

 

*poema dedicado a duas pessoas que têm me sustentado e me segurado desde o fim de 2007 e neste ano:

loca e vicko, palavras não expressam quem vocês são, mas é o mínimo que posso fazer para demonstrar como vocês são essenciais em minha tão simples e frágil vida…

eternamente grato…

Uma resposta em “Marcas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s