Laços

Falar do Amor é como falar de Deus
O que se fala apenas são idéias
Partes, fragmentos, visões
Daquilo que não se pode ver

Estranho é falar do Amor
Teorizar o que não é teoria
Sentimento louco, estranho
Não aceita limites
Nem gosta de definições

Vãs são as tentativas de entendê-lo
Ele não suporta as grades e prisões
Correntes não o podem deter
São a antítese do que Ele é

O Amor foge às gaiolas
Se detido, sai pelas frestas
Pavoroso e inconcebível
É pensar no Amor preso
Livre Ele é, como o Vento

Aparece quando e como quer
E para quem deseja
Surpreende ao unir almas
Sem planos, sem determinações
Apenas por que quer

E apesar de não gostar das palavras
Belas são as que Ele faz brotar
Através de nós

E não gostando de gaiolas
Mesmo assim o Amor nos prende
Mas sem correntes
O Amor prefere laços
Tecidos com cumplicidade
E pela nossa inconsciente decisão

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s