De volta

Hugo Rafael Rocha, de volta! Frustrada a tentativa de mudança. Ninguém se manifestou a favor. Antes, muitos não gostaram. Nem mesmo eu, admito!

“Já não há remédios, confianças,
Que a morte a destruir não tem alentos,
Quando a vida em penar não tem mudanças:

E quer meu mal, dobrando meus tormentos,
Que esteja morto para as esperanças,
E que ande vivo para os sentimentos.”

[Gregório de Matos, séc. XVII]

O motivo da tentativa de mudar está nos versos acima. Hugo Rafael Rocha é um nome que me faz morto para as esperanças e me mantém vivo para os sentimentos. Enfim, meu eterno tormento!

Uma resposta em “De volta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s